imagem

Cáseos amigdalianos: tratamento

O cáseo amigdaliano também pode ser chamado de caseum, e é uma massa viscosa que forma pequenas bolinhas amarelas ou brancas, e se fixam em pequenas cavidades próximas a amígdalas.

Seu nome deriva do latim e significa queijo, assimilando essas bolinhas a um pedaço de queijo, com odor muito forte e desagradável. Sua formação ocorre nas amígdalas e é um conjunto de proteínas salivais, restos de alimentos, descamação epitelial, e também a redução do fluxo salivar. Essas bolinhas geralmente são expelidas da boca durante a tosse, fala ou espirros. Mas também podem ser retirados com a ajuda de instrumentos próprios, ou até mesmo apertando as amigdalas. Porém esses dois casos podem causar ferimentos na boca.

O estresse excessivo e o uso de medicamentos fortes diminuem a produção da saliva, e essa diminuição favorece a formação do caseum. Após um tempo, o caseum começa a causar desconfortos e irritações na garganta e ainda pode ser acompanhada por vermelhidão, além da hipertrofia. Tais incômodos acontecem porque as bolinhas tendem a endurecer e ficar com aspectos de pedrinhas na boca. Os cáseos amigdalianos ocorre em uma grande porcentagem de pessoas, e podem ocorrer em qualquer idade, mesmo que não tenha tido nenhum sintoma nas amígdalas.

A presença do caseum pode causar mau hálito, já que favorece o aparecimento de diversas desordens bucais, e isso pode atrapalhar inclusive nas relações pessoais devido ao odor desagradável que fica na boca.

Como tratar o caseum

Espaço para vídeo:

É preciso ter uma higiene bucal extremamente rigorosa, fazendo a escovação correta nos dentes e língua, além do uso diário do fio dental. Aumentar a ingestão de água durante o dia também auxilia no tratamento. A higienização inadequada, consumo bebidas alcoólicas, fumar e digerir alimentos muito quentes podem irritar a boca e consequentemente ajudar na hora do aparecimento do caseum.

Quando causa o mau hálito ou deixa a garganta dolorida é aconselhado fazer algum tratamento caseiro, através de gargarejos, seja com água morna e sal, até o uso de enxaguantes bucais. Vale atentar a um detalhe sobre o uso de enxaguante. Ele não pode conter álcool na composição.

Caso sinta dores excessivas na garganta, o uso do anti-inflamatório é uma das opções na hora de cuidar.
Evitar o hábito de mordiscar os dedos, lábios e bochechas também ajuda na prevenção da descamação das células.
Em casos mais graves, há tratamentos clínicos, que normalmente consistem em gargarejos com soluções salinas, ou cirurgia. A retirada das amígdalas apesar de ser comum em diversos consultórios de otorrinolaringologista, não é isenta de riscos, e dependendo do paciente é contraindicada.

A cirurgia pode causar dores desagradáveis na garganta e no ouvido durante dias, e o uso de remédios é indicado para aliviar o desconforto.

Outra opção de tratamento seria o laser, que consiste em remover as cavidades das amígdalas, mantendo apenas parte delas, o que impede a formação de bolinhas na garganta. E é preciso sucessivas intervenções cirúrgicas para a retirada.

Os sinais de melhoras surgem dois a três dias após e incluem diminuição do número de bolinhas na boca, além da redução do mau hálito.

Para saber mais acesse: http://bolinhasbrancasnagarganta.com/como-acabar-com-caseum/